Resiliência: o que fazer quando tudo dá errado

Postado em 2 set, 2015 - Psicologia

09.02Já falamos um pouco sobre resiliência antes, aqui e aqui. Mas, vamos começar lembrando o conceito!

A palavra vem do latim “resilio”, que significa voltar ao estado natural. O conceito oriundo da Física se refere à propriedade de que são dotados alguns materiais, de acumular energia quando exigidos ou submetidos a estresse sem ocorrer ruptura. Este conceito é aplicado ao comportamento humano com o objetivo de permitir que sejam adotadas mudanças nas atitudes para proporcionar melhoria na qualidade de vida das pessoas mesmo em situações do dia-a-dia de cobranças, prazos, pressões, muita tensão e estresse.

Assim, nos referindo à sua capacidade de lidar com problemas e situações difíceis, vencer obstáculos e não ceder à pressão, perdendo assim seu referencial interno de quem é e o que quer. Sendo portanto a habilidade de superar adversidades sem se deixar afetar negativamente por elas. O que é extremamente importante para a superação de desafio e momentos difíceis, quando achamos que tudo está dando errado.

Aliado à resiliência temos a estabilidade emocional. Pois, quando tudo parece dar errado o que mais precisamos é manter a estabilidade emocional, ou seja a nossa capacidade de lidar bem com situações de estresse e de controlar os sentimentos negativos, como impulso, ansiedade e raiva.

Em nossa vida sempre haverá momentos em que tudo parece dar errado. Em que enfrentamos momentos difíceis, momentos de recuos, perdas, decepções, angústias, fracassos, alguma forma de doença e tantas outras situações que fazem com que pensemos que estamos no caminho errado. Muitos são os acontecimentos que achamos que serão difíceis de ultrapassar. E, quando passamos por dificuldades, por vezes, tendemos a não conseguir prever melhorias nem perceber que mesmo acontecendo coisas não tão boas existem conquistas e sucesso em nossa vida. Porém, é possível superar esses momentos sendo resiliente, o que significa ser capaz de superar as adversidades e seguir em frente.

Mas como podemos fazer isso na prática? Seguem algumas dicas:

  • Aceite que você está vivenciando uma crise, negar que o problema existe não vai resolvê-lo.
  • Não pense no problema de forma catastrófica. Analise o problema friamente e de forma realista.
  • Não se compare com os outros. Siga os seus valores, os seus interesses, aquilo que lhe é significativo, que o faz sentir-se bem, o que dá sentido à sua vida, aquilo que você necessita. Cada pessoa é única.
  • Cuide de você! No momento de crise isso pode parecer desnecessário, mas cuidar de si mesmo é parte fundamental do plano de se tornar mais resiliente e consegui superar a situação.
  • Não se isole. Recorra a sua rede de suporte social, busque seus familiares e amigos. Perceba que você não está sozinho neste momento de dificuldade.
  • Seja capaz de perceber que mesmo em momento de crises existem coisas boas em sua vida. Claro que não precisamos ser Pollyanna, mas focar apenas no que está errado não será motivador.
  • Crie um plano para sair da situação. Pense em formas alternativas e criativas para resolver o problema. Neste momento o que vai te ajudar é planejamento e ação.
  • Preveja as adversidades. Não conte que sempre todas as situações serão fáceis em sua vida.
  • Por fim, por mais cliché que pareça, aprenda com os erros e siga em frente.

Resiliência vai além de ser paciente, é um planejamento constante de suas ações, é ser consciente de seus atos e do impacto dos mesmos ao seu redor.

E se não puder fazer tudo isso sozinho, procure a ajuda de um profissional!