Projeto “Body Image Movement”

Postado em 19 jun, 2014 - Dicas Gestantes, Dicas Mamães, Dicas Noivas

Taryn Brumfitt A fotógrafa australiana Taryn Brumfitt de 35 anos, é uma das muitas mulheres que se sentiram desconfortáveis com o corpo pós-gravidez. Mãe de três filhos, Taryn passou por um rigoroso processo para perder 15 quilos e ter o corpo bem definido logo após o nascimento do caçula.

Taryn emagreceu, fez muito exercício e inclusive participou de concursos de beleza, mas a insatisfação com seu corpo nunca passou, e em uma tarde na praia, ela se deparou com duas mulheres que haviam perdido um dos seios por conta de uma doença e as duas estavam felizes e satisfeitas com seus corpos. Pensando sobre isso, ela concluiu que as mulheres são sempre levadas a acreditar que precisam ter menos celulite, a cintura mais fina, menos barriga ou qualquer coisa assim para serem perfeitas e que isso precisava mudar.

E pensando que não queria que sua filha tivesse problemas em aceitar o próprio corpo e passasse pelo mesmo sofrimento que ela, em vez de procurar por cirurgias, Taryn escolheu trabalhar a aceitação e o amor próprio.

Como posso ensinar a minha filha a amar incondicionalmente o seu corpo se eu mesma não consigo?, disse ela ao site do The Huffington Post.

Alguns meses depois de sua decisão, Taryn compartilhou no Facebook uma foto “antes e depois” do nascimento dos três filhos e recebeu mais de 3 milhões de ‘curtidas’.

Before-after-high-res-665x525

Com a atenção que chamou nas redes sociais, Taryn Brumfitt  deu início ao projeto ‘Body Image Movement’ (Movimento da Imagem Corporal) para promover o amor próprio e a aceitação entre as mães que sofrem com as marcas deixadas no corpo depois da gravidez.

Atualmente, a fanpagedo movimento tem mais de 50 mil fãs no Facebook e outras pessoas colaboram enviando suas histórias e imagens. Com o movimento Taryn entrevistou mais de 100 mulheres pedindo para que elas descrevessem o próprio corpo em uma palavra, o resultado foi assustador, a maioria optou por palavras como horrível, imperfeito e até nojento. O objetivo de Taryn é produzir um documentário sobre o assunto para ensinar às mulheres a amarem seus próprios corpos e incentivar uma mudança global.

Em um texto que escreveu ao site Huffington Post, ela explica: “É preciso muito esforço, tempo e energia, mas posso dizer que não há nada melhor do que: a) amar o seu corpo de todo o coração, protuberâncias e saliências e tudo; e b) dizer a sociedade onde eles podem empurrar seus ideais de beleza”.
“Nossos corpos vão passar por muitas mudanças em nossas vidas. Nossos corpos mudam com o envelhecimento, gravidez, doença, perda de peso, ganho de peso, a lista continua. Uma coisa que devemos fazer é aprender a amar os nossos corpos antes, durante e depois”, finaliza.