Mitos e verdades do destination wedding

Postado em 10 dez, 2012 - Dicas Noivas
Foto: Gabriela Alves

Noivos não precisam custear viagem dos convidados

Por Renata Demôro para Noivas GNT, publicado em 09/12/2012


O destination wedding é uma tendência, mas ainda deixa muitas noivas na dúvida sobre diferentes questões. Preciso custear a passagem dos meus convidados? Um casamento em outro estado ou país é muito mais caro do que uma união nos moldes tradicionais? E os preparativos, são mais complicados? A seguir, veja respostas para as principais questões em torno do destination wedding:




  • 1
    Os noivos devem custear a viagem dos convidados
    Mito. Para a assessora de casamentos Elke Delmond,“pode ser de bom tom, mas não é obrigação dos noivos pagar pela passagem e hospedagem dos convidados. Por outro lado, custear as despesas é a garantia da presença de mais pessoas na cerimônia e festa de casamento”.
  • 2
    Organizar um casamento em outra cidade é sinônimo de dor de cabeça.
    Mito. Para Elke, a organização de um destination wedding pode ser mais tranquila e prazerosa do que os preparativos de um casamento tradicional. “A produção é mais simples e a contratação de fornecedores é menor. Hoje já existem hotéis que oferecem pacotes fechados para a cerimônia e festa, que incluem decoração, bufê e até mesmo o celebrante”, explica a assessora.
  • 3
    No destination wedding é preciso dar orientações sobre a localização aos convidados
    Verdade. “É obrigação dos noivos e da equipe de profissionais que organiza o casamento cuidar das orientações de hospedagem, deslocamento e conveniências relacionados ao evento, como salões de beleza para que as mulheres façam unhas e cabelo”, explica a cerimonialista Flávia Cavaliere.
  • 4
    Em um destination wedding é preciso começar os preparativos com mais antecedência.
    Verdade. “É preciso começar a organizar um destination wedding com, no mínimo, um ano de antecedência. Isso evita a correria com fornecedores e datas já fechadas. Também é importante fazer o convite para o casamento mais cedo, já que as pessoas precisam reservar as passagens de avião e hotel. Alguns convidados ainda podem tentar unir a ocasião com as férias ou uma possível folga”, diz Elke. Para evitar desistências entre os convidados, entregue um save the date cerca de seis meses antes da data marcada avisando sobre o evento.
  • 5
    O orçamento de um destination wedding é muito mais alto do que um casamento tradicional
    Mito. Segundo a assessora de casamentos Elke Delmond, alguns destinos podem sair mais em conta quando comparado a um casamento na cidade onde os noivos residem. “Aruba e Cancun são destinos muito procurados e com baixo custo. A grande questão é o número reduzido de convidados, mas a produção completa tem orçamento menor do que um casamento nas grandes cidades brasileiras. Por outro lado, as comemorações deste tipo de casamento começam dois dias antes, que entram no orçamento total.
  • 6
    Um destination wedding deve ter poucos convidados.
    Mito. De acordo com a cerimonialista Flávia Cavaliere, “em território brasileiro o que define o número de convidados é a localização da cidade escolhida para o casamento. Em locais onde o deslocamento máximo é de até 200 km é possível convidar de 50 a 150 pessoas. Em viagens internacionais, o número gira em torno de 30 pessoas por festa”.