O que é a dislexia?

Postado em 25 abr, 2013 - Dicas Mamães, Psicologia

O primeiro a utilizar o termo dislexia como tal foi o neurologista britânico McDonald Critcheley em 1964, e segundo a World Federation of Neurologists, dislexia do desenvolvimento é o distúrbio em que a criança, apesar de ter acesso à escolarização regular, não adquire as habilidades necessárias de leitura, escrita e soletração que seriam esperadas de acordo com seu desempenho intelectual.

Para o National Institute of Health a dislexia é um dos vários tipos de distúrbios de aprendizagem. É um distúrbio específico de linguagem de origem constitucional e caracterizado por dificuldades em decodificar palavras isoladas, geralmente refletindo habilidades de processamento fonológico deficientes. Essas dificuldades em decodificar palavras isoladas são frequentemente inesperadas em relação à idade e outras habilidades cognitivas e acadêmicas, elas não são resultantes de um distúrbio geral do desenvolvimento ou de problemas sensoriais.

dislexia

Segundo a definição elaborada pela Associação Brasileira de Dislexia, a dislexia é uma insuficiência do processo fonoaudiológico e inclui-se freqüentemente entre os problemas de leitura e aquisição da capacidade de escrever e soletrar. Resumidamente podemos entender a Dislexia como uma alteração de leitura, e apesar da criança disléxica ter dificuldade em decodificar certas letras, não o faz devido algum problema de déficit cognitivo. Normalmente esses sujeitos apresentam um QI perfeitamente compatível com a média para idade.

Portanto, podemos dizer que a dislexia é um transtorno da aprendizagem relacionada à dificuldade de leitura. Tendo esta habilidade prejudicada, todo o rendimento escolar pode ser comprometido, assim como a auto-estima do indivíduo. Desta forma, é de importância fundamental o conhecimento por parte dos pais e professores da existência deste transtorno, de como ele funciona e o que significa uma criança ter dislexia para que possam aprender a lidar com a situação.

A dislexia consiste em um rendimento da leitura substancialmente inferior ao esperado para a idade cronológica, a inteligência medida e a escolaridade do indivíduo. Trata-se de um déficit no desenvolvimento do reconhecimento de palavras e na compreensão dos textos escritos. Este transtorno não é devido nem à deficiência mental, nem a uma inadequada ou escassa escolarização, nem a um déficit visual ou auditivo, nem a um problema neurológico.

Pesquisas apontam que cerca de 10% das crianças em idade escolar são disléxicas, numa proporção de uma menina para cada quatro meninos.

Muitas podem ser as causas de uma dislexia. Ao contrário, entretanto, do que muitos pensam, ela não é conseqüência de falta de atenção ou motivação, de má alfabetização, de baixa condição sócio-econômica ou baixo nível de inteligência.

SINTOMAS

Manifesta-se uma leitura oral lenta, com omissões, distorções e substituições de palavras, com interrupções, correções, bloqueios, tanto na leitura em voz alta quanto na silenciosa, além de produzir efeito sobre a compreensão leitora. É importante atentar para o fato de que todas as crianças disléxicas apresentam dificuldades em algum aspecto da escrita.

Muitos disléxicos, por conta de sua dificuldade, são taxados de lentos, burros ou preguiçosos, o que dificulta ainda mais seu processo de aprendizado e de desenvolvimento da leitura e da escrita. Para que equívocos como esses sejam evitados, é preciso estar atento para os sintomas.

DIAGNÓSTICO

O fato de uma criança ou adulto apresentar alguns desses sintomas não significa necessariamente que seja disléxico, há outros elementos a serem observados. O diagnóstico de dislexia deve ser realizado por uma equipe multidisciplinar, ou seja, profissionais de diversas áreas da saúde e educação como psicólogo, fonoaudiólogo, psicopedagogo e neurologista. Por isso, é importante que, se alguns dos sintomas citados sejam observados, a criança ou adulto seja encaminhado para uma avaliação profissional multidisciplinar.

PREVENÇÃO

Crianças com pobre consciência fonológica (já falamos sobre consciência fonológica aqui e aqui) são crianças de risco para desenvolver problemas de leitura e escrita. Quanto maior a idade da criança e, portanto, quanto mais tempo se passa com a dificuldade de leitura e escrita, tanto menores são os efeitos da intervenção. É essencial, dessa forma, intervir o mais precocemente possível, de preferência antes da introdução formal de leitura, prevenindo ulteriores problemas na aquisição de leitura e escrita.

ALGUNS DISLÉXICOS FAMOSOS

  • Agatha Christie
  • Albert Einstein
  • Alexander Graham Bell
  • Antony Hopkins
  • Beethoven
  • Bill Gates
  • Fred Astaire
  • Galileo
  • Harrison Ford
  • Jack Nicholson
  • John Lennon
  • Julio Verne
  • Leonardo da Vinci
  • Louis Pasteur
  • Magic Johnson
  • Mozart
  • Pablo Picasso
  • Steven Spielberg
  • Thomas Edison
  • Tom Cruise
  • Walt Disney
  • Winston Churchill

filmePara finalizar deixo a indicação de um excelente filme:  Como Estrelas na Terra- Toda Criança é Especial.

Título Original: Taare Zameen Par

Sinopse: É a história de uma criança, Ishaan Awasthi, de 9 anos, que sofre com dislexia e custa a ser compreendida. Um professor substituto de Artes entra em cena e logo percebe que algo de errado estava pairando sobre Ishaan. Não demorou para que o diagnóstico de dislexia ficasse claro para ele, o que o leva a por em prática um ambicioso plano de resgatar aquele garoto que havia perdido sua réstia de luz e a vontade de viver.

Em DVD- 2007 (Mundial)

140 min  –  Drama

Direção: Aamir Khan, Amole Gupte

Países de Origem: Índia