Amamentação cruzada e doação de leite materno

Postado em 15 ago, 2016 - Dicas Mamães

08.16O aleitamento cruzado é a prática de lactação na qual a criança recebe um leite que não é produzido por sua mãe. Esta prática é contraindicada formalmente pelo Ministério da Saúde e Organização Mundial da Saúde (OMS).

Quais os riscos para o bebê?

O principal risco da amamentação cruzada e doação de leite materno fora dos bancos de leite é a contaminação do bebê com doenças que passam pelo leite materno, como, por exemplo:

  • AIDS
  • Hepatite B ou C
  • Citomegalovírus
  • HTLV (Vírus Linfotrófico humano de célula T),
  • Mononucleose infecciosa
  • Herpes simples ou Herpes zoster,
  • Sarampo
  • Caxumba
  • Rubéola

E mesmo que a outra mulher tenha uma aparência saudável, ela pode estar com alguma doença assintomática e por isso a amamentação cruzada continua sendo contra-indicada. Mas se a própria mãe do bebê apresentar alguma destas doenças, o pediatra poderá orientar se a amamentação pode ser feita, ou não.

Veja a opinião da Dra Ana Heloisa fala para o Amamentar é… sobre a amamentação cruzada.

 

 

Então o que a mãe deve fazer caso não consiga amamentar?

A primeira orientação é buscar ajuda junto ao seu médico, pediatra ou a unidade onde teve o seu filho. Quando a mãe produz uma quantidade de leite insuficiente para amamentar o bebê, ela deve recorrer a um banco de leite humano, onde o leite doado é passado por rigorosos processos de higiene e controle. Antes de se tornarem doadoras, as mulheres passam por uma série de exames e só são aceitas se não apresentarem doenças transmissíveis.

Qual a diferença do leite do banco de leite para o leite de outra pessoa?

A diferença fundamental do leite do Banco de Leite Humano (BLH) para o leite doado diretamente por uma outra mãe é que no BLH o leite é tratado, pasteurizado e, por isso, isento de qualquer possibilidade de transmissão de doenças. A

Por isso, o leite oferecido no BLH, não se considera aleitamento cruzado, pois há todo um processo de seleção, esterilização (pasteurização a temperatura de 62,5º C por 30 minutos, o que garante a inativação térmica de 100% dos microrganismos patogênicos e 99,9 % da flora saprófita, inclusive o HIV), e controle microbiológico.

 Lembrem!! A maneira mais saudável e correta de compartilhar leite materno é através da doação para os bancos de leite.

No Brasil procure a Rede Brasileira de Bancos de Leite Humano, e no EUA The Human Milk Banking Association of North America.