Temos que falar sobre isso: uma plataforma de relatos anônimos

Postado em 30 set, 2015 - Dicas Gestantes, Dicas Mamães

Temos que falar sobre issoBaby blues, depressão pós-parto, dificuldade na amamentação, perdas gestacionais e perinatais, infertilidade, partos traumáticos e violência obstétrica são só algumas das inúmeras e intensas experiências vidas pelas mulheres e que não estamos acostumadas a falar e encarar de frente.

Estas experiências são muitas vezes vivenciadas de forma solitária, em silêncio e sem uma rede de apoio. O que torna tudo muito mais sofrido. Falar sobre estas experiências possibilita elaborar o que foi vivido, e assim, criar novos significados para que a vida possa seguir.

No sentido de dar voz a todas essas experiências surge o projeto Temos que falar sobre isso. Idealizado por Thais Cimino o Temos que falar sobre isso é uma plataforma de relatos anônimos, desabafos de mulheres que, desamparadas, não encontram ajuda ou apoio para falar sobre suas angustias.

Mães com dificuldades em contar suas histórias por medo de serem consideradas incapazes de cuidar de seus filhos, por vergonha, por insegurança, por se sentirem sozinhas ou qualquer razão que seja, encontram neste projeto um espaço de acolhida e suporte. Podendo compartilhar experiências, ouvir e ser ouvida por outras mães que passam ou passaram por situação semelhante livres de julgamentos.

A partir da minha experiência pessoal entendi a importância de haver uma rede de acolhimento para as mulheres, em que elas pudessem falar sobre as dores e desafios durante a gestação, parto e o pós-parto. Um espaço para serem ouvidas sem serem julgadas.

A proposta, portanto, é oferecer informação e acolhimento para as mães. O atendimento é feito sem nenhuma burocracia ou comprometimento financeiro e a partir desse compartilhamento, o projeto visa guiar as mães para que possam encontrar ajuda em programas sociais, profissionais de saúde ou grupos de apoio local.

Queremos orientá-las a que procurem ajuda, a que não se sintam culpadas, a que não tenham medo de enfrentar essas dificuldades e ultrapassar esses obstáculos.

Como mães podemos criar uma rede de apoio.

Os profissionais devem ter um olhar atento para as necessidades dessa mulher, estar mais próximos dela no período da gravidez e do puerpério, e quando necessário guiar para o tratamento adequado.

Chega de julgar, chega de colocar-nos umas contra as outras, chega de criticar.

Vamos escutar, vamos dar voz, vamos acolher, vamos estar atentos, vamos ter mais cuidado com as mulheres, favorecendo e ajudando a que possam desempenhar a maternidade de forma tranquila, segura e confortável para, assim, criarem um vínculo saudável com seus bebês.

Com o grande alcance obtido pelo projeto, mais de 300 mil visualizações em quatro meses e mais de 12 mil seguidores no Facebook, Temos que falar sobre isso deixou de ser um projeto pessoal para ser uma construção coletiva!

As mulheres se respeitam muito, e estão acolhendo umas às outras lindamente. Já está se formando uma rede de apoio feita por elas e para elas, e isso é uma coisa maravilhosa de se ver, o carinho, a empatia e o acolhimento que encontramos são a prova de que estamos no caminho certo.

Temos que falar sobre isso além do suporte oferecido às mães busca profissionais para atuar no projeto, como psicólogos, consultores e quem possa se interessar em oferecer apoio.

Conheça, divulgue e participe!