Principais obstáculos da amamentação

Postado em 23 jul, 2014 - Dicas Gestantes, Dicas Mamães

mother feeding her baby in nature outdoors in the parkOrganização Mundial de Saúde, o Ministério da Saúde do Brasil e a Sociedade Brasileira de Pediatria recomendam o aleitamento materno exclusivo até os seis meses e o aleitamento materno complementado pelo menos até os dois anos – inicialmente complementado pela introdução de alimentos e, após, complementando a alimentação.

Segundo a OMS no Brasil embora 87% das mães inicie o aleitamento materno, apenas 41% continuam o aleitamento materno exclusivo até os 6 meses. Alguns fatores podem contribuir para o insucesso da amamentação. Dentre eles a insegurança que as mães sentem, o cansaço, a  instabilidade emocional.

Além destes fatores podemos apontar:

Desconhecimento e falta de conscientização em geral

Embora o conhecimento não garanta mudança de atitude, ele é considerado um passo importante no processo de mudança do comportamento. As mulheres devem ser informadas sobre as vantagens do aleitamento materno exclusivos, bem como as desvantagens da introdução precoce de outros alimentos.

Práticas inadequadas dos profissionais de saúde

Não é suficiente que a mulher tenha acesso à informação, é preciso que elas possam contar com o apoio de um profissional habilitado para ajudá-la. Mas, nem sempre o profissional de saúde tem conhecimentos e habilidades suficientes para lidar adequadamente com as inúmeras situações que podem servir de obstáculo à amamentação.

Cultura e crenças

Muitas crenças e práticas associadas à cultura conflitam com as recomendações para a alimentação saudável da criança pequena. Práticas como: suplementação com água e chás, e  o uso de chupetas.

Falta de confiança e baixa autoestima

Devido à falta de confiança na sua capacidade de amamentar plenamente, muita mulheres acreditam ter pouco leite ou que o leite é fraco. Esta percepção é um fenômeno universal e causa de suplementação precoce bem como a interrupção do aleitamento materno.

Falta de apoio e suporte familiar

O processo de amamentação, mesmo sendo biológico, é fortemente influenciado pelo ambiente em que a mulher está inserida. E por não ser um ato instintivo deve ser aprendido. Na sociedade de hoje a cultura do suporte oferecido por mulheres, membros da família, mais experientes que possam transmitir seus conhecimentos e dar apoio às novas mães está cada vez mais raro na medida que as famílias estendidas estão sendo substituídas famílias nucleares. E como consequência as mulheres têm sido pouco expostas à prática da amamentação.

Trabalho materno

Mesmo que o trabalho materno não seja uma das principais causas da interrupção do aleitamento materno e da introdução de suplementos à criança, sabemos que o emprego materno pode ser um importante obstáculo à amamentação, em especial à amamentação exclusiva.

Marketing de fórmulas lácteas infantis

Uma grande quantia de dinheiro é gasto na promoção comercial de fórmulas infantis, e a percepção das mães sobre o uso benéfico das fórmulas é um fator desencorajador do aleitamento materno exclusivo.

No Brasil, a Norma Brasileira de Comercialização de Alimentos para Lactentes e Crianças de Primeira Infâncias, Bicos, Chupetas e Mamadeiras, regulamenta a promoção dos substitutos e inclui a proibição de doações ou subsídios de formulas aos hospitais.

Fontes:

II Pesquisa de Prevalência de Aleitamento Materno nas Capitais Brasileiras e Distrito Federal

Prevalência do aleitamento materno nas capitais Brasileiras

Carvalho, MR; Tavares, LAM (2010) Amamentação: Bases Científicas. 3° Edição, Rio de Janeiro: Guanabara Koogan.