Prevenção de afogamentos de crianças e a técnica de auto salvamento e sobrevivência aquática Infant Swimming Resource ®

Postado em 5 jul, 2013 - Dicas Gestantes, Dicas Mamães
Fonte Infant Swimming Resource

Fonte Infant Swimming Resource

Estava vendo esses dias um vídeo de um bebê que ao cair na piscina consegue manter o rosto fora da água e não se afogar. Fiquei curiosa com a técnica e fui pesquisar um pouco sobre o Infant Swimming Resource.

Vou aproveitar e falar também sobre afogamento de crianças e os cuidados que devemos ter, já que os acidentes podem acontecer com uma pequena quantidade de água, bastando cobrir o nariz e a boca.

De acordo com a ONG Criança Segura, no Brasil, afogamentos são a segunda causa de morte e a oitava de hospitalização, entre os acidentes, na faixa etária de 1 a 14 anos. Segundo o Ministério da Saúde, em 2007, 1.382 crianças de até 14 anos morreram vítimas de afogamentos, o que representa uma média diária de quase 4 óbitos. É importante salientar que os perigos não estão apenas nas águas abertas como mares, represas e rios. Para uma criança que está começando a andar, por exemplo, três dedos de água representam um grande risco. Assim elas podem se afogar em piscinas, cisternas e até em baldes, banheiras e vasos sanitários.Outro fator que contribui para que o afogamento seja um dos acidentes mais letais para crianças e adolescentes é que o mesmo acontece de forma rápida e silenciosa. Vamos imaginar um banho de banheira de um bebê:

  • Ao deixar a criança na banheira para pegar uma toalha: cerca de 10 segundos são suficientes para que a criança fique submersa; 
  • Ao atender ao telefone: apenas 2 minutos são suficientes para que a criança submersa na banheira perca a consciência;
  • Sair para atender a porta da frente: uma criança submersa na banheira ou na piscina entre 4 a 6 minutos pode ficar com danos permanentes no cérebro.
Fonte Infant Swimming Resource

Fonte Infant Swimming Resource

Como proteger a criança de um afogamento

Um adulto deve supervisionar de forma ativa e constante as crianças e adolescentes, onde houver água, mesmo que saibam nadar ou que os lugares sejam considerados rasos.Seguem algumas dicas para prevenir afogamentos com crianças:
  • Esvazie baldes, banheiras e piscinas infantis depois do uso e guarde-os sempre virados para baixo e longe do alcance das crianças;
  • Mantenha baldes com água no alto, longe do alcance das crianças;
  • Conserve a tampa do vaso sanitário fechada, se possível lacrada com algum dispositivo de segurança “à prova de criança” ou mantenha a porta do banheiro trancada;
  • Mantenha cisternas, tonéis, poços e outros reservatórios domésticos trancados ou com alguma proteção que não permita “mergulhos”;
  • Piscinas devem ser protegidas com cercas de no mínimo 1,5 m que não possam ser escaladas e portões com cadeado s ou trava de segurança que dificultem o acesso dos pequenos;
  • Alarmes e capas de piscina garantem mais proteção, mas não eliminam o risco de acidentes. Esses recursos devem ser usados em conjunto com as cercas e a constante supervisão dos adultos;
  • Grande parte dos afogamentos com bebês acontece em banheiras. Na faixa etária até dois anos, até vasos sanitários e baldes podem ser perigosos. Nunca deixe as crianças, sem vigilância, próximas a pias, vasos sanitários, banheiras, baldes e recipientes com água;
  • Evite brinquedos e outros atrativos próximos à piscina e reservatórios de água;
  • Saiba quais amigos ou vizinhos têm piscina em casa e quando levar a criança para visitá-los, certifique-se de que será supervisionada por um adulto enquanto brinca na água;
  • Boias e outros equipamentos infláveis passam uma falsa segurança. Eles podem estourar, virar a qualquer momento e ser levados pela correnteza. O ideal é que a criança use sempre um colete salva-vidas quando estiver em embarcações, próxima a rios, represas, mares, lagos e piscinas, e quando estiver praticando esportes aquáticos;
  • Crianças devem aprender a nadar com instrutores qualificados ou em escolas de natação especializadas. Se os pais ou responsáveis não sabem nadar, devem aprender também;
  • Muitos casos de afogamentos aconteceram com pessoas que achavam que sabiam nadar. Não superestime a habilidade de crianças e adolescentes;
  • No mar, a vala aparenta uma falsa calmaria, mas representa o local de maior correnteza que leva para o alto mar. Ensine a criança a nadar transversalmente à vala até conseguir escapar ou a pedir socorro imediatamente;
  • O rápido socorro é fundamental para o salvamento da criança que se afoga, pois a morte por asfixia pode ocorrer em apenas 5 minutos. Por isso é tão importante que pais, responsáveis, educadores e outras pessoas que cuidam de crianças aprendam técnicas de primeiros socorros;
  • Tenha um telefone próximo à área de lazer e o número do atendimento de emergência (SAMU: 192 e Corpo de Bombeiros: 193).

Além de todos estes cuidados, temos que no Brasil, as características do clima, a vasta rede hidrográfica e o tamanho do litoral representam fatores de risco importantes para os afogamentos.

Basta um segundo para uma criança cair na água, afogar-se ou ficar com lesões permanentes. E por isto, é importante que as crianças desde muito pequenas aprendam alguma técnica de natação de auto salvamento para sobreviver à um afogamento, e aqui vamos falar da técnica ensinada pelo ISR (Infant Swimming Resource).

A ISR é uma organização reconhecida nos EUA, que ensina natação de auto salvamento para crianças de 6 meses a 6 anos.

A principal missão da ISR é evitar afogamentos em crianças desde os 6 meses até aos 6 anos através da educação dos pais, profissionais da área, médicos e a comunidade sobre a necessidade de prevenção de afogamento e segurança. O afogamento é uma das principais causas de morte e incapacidade a nível mundial.

Fonte Infant Swimming Resource

Fonte Infant Swimming Resource

E o que as crianças aprendem?

Crianças dos 6 aos 12 meses aprendem a rodar a partir de uma posição de face para baixo na água para uma posição de flutuar. O bebê vai ser ensinado a descansar e respirar de costas para a água, a boiar, até chegar ajuda.

Crianças à partir dos 12 meses, vão aprender uma sequência de natação de nadar-boiar-nadar. Estas crianças vão ser ensinadas a nadar de bruços com os braços e as pernas (semelhante a um curso livre); rodar sobre as suas costas para flutuar, descansar e respirar quando precisarem de ar, e então virar para o seu estômago para continuar a nadar até que cheguem a um ponto de segurança. Esta sequência de natação de nadar-boiar-nadar pode ser repetida tantas vezes quantas forem necessárias para alcançar a segurança.

Os alunos com essas habilidades serão capazes de nadar de forma independente e aprender a movimentar-se em seu próprio ritmo para chegar até um ponto seguro como a borda da piscina ou às margens de uma lagoa ou rio.

Diferente de outros programas tradicionais de natação, a ISR combina aulas seguras de natação com técnicas de auto salvamento para bebés e crianças, estimulando-os e contribuindo para o desenvolvimento pessoal.

Para ver os instrutores no Brasil clique aqui ou entre em contato com  ISR Brasil