Babá: ter ou não ter?

Postado em 12 abr, 2014 - Dicas Gestantes, Dicas Mamães

PlayingNão existe uma regra universal, cada família é única e a escolha de ter ou não uma babá é muito particular e deve ser conversada e combinada pelo casal. Por isto, é importante que, desde a gestação, o casal pense se terá ou não uma babá para ajudar nos cuidados com o bebê. A decisão de ter essa profissional não deve ser automática. Há casais que conseguem conciliar bem o dia a dia e a chegada de um bebê em casa.

E antes de pensar se deve ou não contratar uma babá o papel deste profissional deve ficar claro para os pais. Mas, afinal, qual é o papel da babá dentro de casa?

A babá é uma ajuda, ou seja, uma pessoa que pode fazer o papel de mãe/pai quando estes estão ausentes. É um profissional que pode ajudar na casa e possa ajudar a criança. Mas isto, sem que a mãe e o pai percam sua posição na casa.

Ao escolher ter uma babá em casa, o mais importante é entender que essa profissional não pode substituir o papel da mãe e do pai, mas deve atuar como uma auxiliar.

Independente da escolha é fundamental que a criança não passe a ser responsabilidade da babá e os pais sejam apoio. Os pais devem ser os responsáveis e a babá o apoio!

Portanto, os pais devem ficar atentos, para que não acabam delegando muitas atividades de cuidado para a babá, eles precisam participar da vida do filho. É importante também lembrar que a babá é uma profissão diferente de empregada doméstica, ou seja, a babá trabalha para ajudar os pais em tarefas que são dele.

O problema, então, não é ter uma babá e sim delegar todos os cuidados do bebê para a babá. Ter esse apoio em casa, em alguns casos, pode deixar os pais mais acomodados. Por que vou levantar pra dar a mamadeira se tem quem faça? O mesmo pode acontecer na hora do banho, da alimentação. Os pais devem ser responsáveis por essas tarefas e delegar apenas quando precisarem muito.

Uma dica para não acabar sendo levados pela facilidade de ter alguém que faça por você é deixar a parte chata par a babá: preparar o banho, por exemplo, mas a mãe e o pai podem dar o banho e a babá vai lá depois e recolhe tudo. A babá prepara a sopinha, mamadeira, a mãe dá. Depois a babá lava tudo. Prepara a roupinha, a mãe ou o pai troca a fralda e veste. A babá limpa o quarto, etc.

E como a maioria das escolhas que fazemos na vida, a contratação de uma babá traz consigo vantagens e desvantagens que devem ser pesadas de acordo com o que o casal mais precisa para aquele momento específico.

Depois de decidir por contratar este profissional fica a questão: “Como escolher a babá?”

Seguem algumas dicas que podem facilitar:
  1. Ao decidir pela contratação da babá, o ideal é indicação de amigos ou familiares que conheçam alguém de confiança. Se isso não for possível, há boas agências de emprego que são competentes na seleção de seus profissionais e também poderão ajudar.
  2. Antes começar a entrevista tenha em mãos a ficha de informações da babá com: nome, telefone fixo, endereço, agência (se for o caso), salário e, é claro, as referências.
  3. Peça um atestado de antecedente criminal atual. Não aceite um atestado federal de bons antecedentes, pois eles só provam que a pessoa não deve ao Fisco.
  4. Não aceite números de telefones celulares para checar referências, pois eles podem ser de um parente da candidata.
  5. Antes de dar informações sobre seus filhos, pergunte a faixa etária que a babá gosta de trabalhar. Ela pode ser impaciente com crianças mais velhas.
  6. Observe as reações da candidata durante a entrevista. Ela deve olhar você direto nos olhos, ser simpática e não fugir das perguntas.
  7. A entrevista é uma oportunidade para analisar a empatia e a higiene – veja se as unhas e as roupas estão limpas.
  8. Pergunte os motivos que a levou a deixar o emprego anterior e cheque a data de demissão na carteira de trabalho. Se não houver registro, pode ser que ela tenha abandonado os patrões ou saído da casa abruptamente.
  9. Durante a entrevista descubra porque a candidata escolheu o trabalho de babá e há quanto tempo ela faz isso. Outra questão importante é se ela está trabalhando atualmente e se pretende continuar com o outro emprego se for contratada por você.
  10. Na entrevista, os pais e a babá precisam deixar claro o que esperam. Então precisam abordar temas diversos e não somente o valor do salário. Precisam falar sobre o horário de entrada e saída, dias de folga, a tarefa que será realizada, se vai trabalhar no final de semana e feriados, se vai dormir, se precisa viajar com a família, entre outros detalhes.
  11. Pergunte se ela já enfrentou alguma situação de emergência no trabalho e se for o caso, peça-a para te contar como resolveu o problema. Também é essencial saber se a babá tem algum treinamento especial de primeiros socorros ou se sabe fazer a ressuscitação cardiopulmonar.
  12. Para saber da pratica da babá em lidar com crianças pergunte o que ela faria se seu filho não a obedecesse. Questione sobre a melhor e a pior criança com a qual ela teve que lidar. Peça para ela descrever o tipo de atividades que faria com seus filhos para passar o tempo.
  13. Lembre-se também de dar espaço para que ela faça qualquer pergunta.
 

Depois da contratação, os pais devem acompanhar o trabalho e definir uma rotina – com horários de mamada, de dormir e do banho, por exemplo. A adaptação leva, em média, um mês. Crie também um diário e estabeleça as informações que devem estar lá: horários da mamada, se as fezes estavam com aspecto diferente, se teve febre, se não comeu bem. Assim você não ficará com dúvidas quando chegar em casa e não precisará perguntar tudo todos os dias.

Preste atenção ao comportamento da criança. Se a criança demonstra mais irritabilidade e nervosismo, sinal de alerta. Voltar a fazer xixi na cama ou hematomas podem ser indícios de maus-tratos. Nestes casos converse com a profissional para ver o que está ocorrendo. Se o problema persistir, tente acompanhar o trabalho dela pelo menos um dia, ou chegue em casa em horários diferentes, para flagrar eventuais problemas.

De qualquer forma, o mais importante é que a criança vá demonstrando cada vez mais afeto com a nova profissional.

E após a contratação nada impede a mãe de fiscalizar de vez em quando e chegar de surpresa em casa. Isso pode acalmar a imaginação e dar mais confiança de que a escolha foi bem feita. Não se trata se desconfiança, mas de uma checagem de tempos em tempos de que tudo está correndo da melhor forma.

É importante também que:

  1. A babá siga as regras dos pais. Por mais malucas e até inusitadas que sejam a babá deve ser fiel aos novos pedidos. A experiência anterior pode ajudá-la, dar mais segurança, mas pode ser que a nova família tenha hábitos diferentes.
  2. Os pais devem falar o que gostam e o que não gostam, mas muitas coisas, só serão vistas no dia a dia. É importante que os pais acompanhem de perto o trabalho da babá para poder conversar com ela sobre o que não gostou e elogiar o que foi considerado bom.
  3. Os pais não deve nunca chamar a atenção da babá na frente da criança.